Coração de Tinta

.
.
.

Depois de ler Coração de Tinta (e adorar), fiquei em cólicas para ver o filme!

Eu ia na semana passada, mas o cinema estava lotado, eu e o Rapha estávamos sem carro, e a sessão era muito tarde... Decidimos assistir a outro filme.

Já na terça-feira fomos comprar as entradas, para não pegar fila e tal (eu deixo de fazer qualquer coisa se tiver fila), tamanha era a minha ansiedade. Eu já tinha visto o trailer umas cinquenta vezes (hehe) e estava empolgadíssima.

Enfim...

Lá fui eu ontem, sai do trabalho correndo... suuper trânsito na Nove de Julho... metrô, encontrar o namorado... shopping... comidinha japonesa e tal... Saraiva (vontade de comprar um livro...)

21:00 - Vamos indo. A sessão já vai começar!

Um Ovomaltine do Bob's no lugar da pipoca...

Quanto traileeeer! eu parecia uma criança, só faltava gritar ''co-me-ça! co-me-ça!''

Começou...

HEIM?

Pera ai... o livro não começa assim!

- Ok, ok... eles têm que fazer uma adaptação e tal... ta certo!

Bom, vamos ao filme:


Para mim, é impossível não comparar a obra original e sua adaptação para o cinema. Recebe créditos meus a atuação de Brendan Fraser como Mo, apesar da cara de paisagem de sempre. Gostei muito da atuação de Andy Serkis, que interpreta o vilão Capricórnio, e de Paul Bettany, que faz as vezes do Dustfinger (Dedo Empoeirado). Os dois conduzem o filme praticamente sozinhos. É bem interessante ver a dualidade da personalidade do Dedo Empoeirado. Entretanto, o filme peca por ser uma péssima adaptação da obra.

Desde o início do filme, percebemos a intenção de fazer algo grande. Com uma temática como a de Coração de Tinta, não é difícil; poderes inexplicáveis, situações ótimas. Maaas, quando todos esses recursos não são bem explorados, o trabalho se torna esburacado e enfadonho. E foi exatamente isso que aconteceu.

Não falarei muito sobre a história e acontecimentos aqui, ainda tenho a esperança de que alguém leia o livro, e eu não quero estragar a surpresa!

O fato é, o filme já não começa como deveria. Os fatos - em sua maioria - são distorcidos e encavalados uns com os outros, coisas que acontecem da metade para o final da história original, vem a acontecer logo no início do filme, como os livros queimados de Elinor.

Na história original, há, pelo menos, três fugas da aldeia de Capricórnio (Andy Serkis - o Gollum do Senhor dos Anéis), no filme, uma só, e mal contada!

Os efeitos são muito bons, e o Sombra é bem interessante (com um ótimo nível de CG), mas se melhores explorados, teriam prendido muito mais os espectadores aos personagens, que só pareciam estar fugindo uns dos outros.

O nome de alguns personagens foi adaptado (e eu não sei o porquê), como o de Elinor, que tornou-se Eleonor, e Fenóglio, que virou Cornélio (mas, heim?).

Antes de tudo, o filme não consegue prender em nenhum momento. Mesmo com inúmeras referências a obras clássicas (Totó, do Mágico de Oz, também não está no livro), não há o encantamento. Não ganhar o público é um pecado em um filme que depende da identificação desse para que a fantasia role. Peter Pan e Senhor dos Anéis que são obras de importância durante o livro, não são nem citadas, exceto pelo crocodilo que fica aprisionado.

O roteiro está cheio de buracos e fica alguma coisa faltando, pairando sobre nós quando saímos da sala de cinema.

A narrativa é corrida e apressada. A impressão que eu tive, é que o diretor teve pressa de acabar logo com tudo.

E pra acabar, assim, com chave de ouro. Parece que fizeram questão de mudar não só o fim da obra original, mas também omitir detalhes e toques de personalidade que alguns personagens tem. Como Basta.Eu esperava deparar com alguém com uma cara bem de mau, cruel e perverso quando vejo um homenzito com cara de ''vejam-como-sou-mau!''

Enfim. O livro é muito bom, mas a adaptação ficou aquém!

9 comentários:

Du Kralho disse...

Poxa Lele estava louco para assistir esse filme, pois o livro realmente é fantastico... Agora estou pensando sobre ver ou não ver o filme...

Abraços.

Felipe - Billie Blade disse...

Olha, não é o primeiro nem ultimo filme em que o livro é melhor, lembro que em Eragon fiquei muito decepcionado, pois pode não ser o melhor livro do mundo, mas é MUITO melhor que o filme.

Esse agora me decepcionou, gostei do livro, agora fico pensando se devo mesmo ver o filme.

Enfim, esta aqui o Feedback, sou o Billie do Diário de Solteiro, se quiser confira depois meu outro blog, o Luzes da Cidade que esta no endereço la embaixo.

Gostei do Blog, vai entrar nos favoritos do Luzes da Cidade, e ps: vou tentar a receita do macarrão.
Rs

Bjss, Billie

Du Kralho disse...

Lele pode deixar q vou visitar vc sempre sim já está nos meus favoritos...

E me visite sempre tbm...

Bjão.

Elton Dias disse...

Lelê!
Eu fiz de propósito a ordem errada das maquiagens. Foi pra demonstrar o quanto visão masculina (de um verdadeiro macho) é. hehehe.
Mas vocês são todas uns corações de tinta, né? rssss.
Falou, beijão!

Camila M. disse...

Se eu já não ia assistir, agora menos aida.

Obrigado pela dica!

Raphael disse...

Parece filme B, daqueles que passam na Bandeirantes! Filme muito atrapalhado, totalmente confuso!
Só valeu a pena por eu estar com a minha Lelê no cinema!!!

Layana Lossë disse...

eu vi Vicky Cristina Barcelona hj, lembrei de vc!
realmente o filme é muuuuuito bom!
deu até vontade de viver uma aventura louca e romântica...

to sumida, eu sei ¬¬
maldito inferno astral...
talvez eu apareça em sampa no fds ^^

Ludo Miranda disse...

Todo ano lançam alguma coisa do tipo.
Idéia cada vez mais surrada e sem graça.
Chega do mesmo né?
Como a bela Layana Lossë citou, Vicky Cristina Barcelona é de fato, um espetáculo.
Prefiro seguir a linha contrária dessa tinta fantasiada de coração que não colore nada e nem niguém.

Beijo

Luiz disse...

uau! vou correndo pro youtube ver esse trailer! :P