A falta

  




Aquele viço, aquela vida. Aquela vontade de ser e estar, de aprender, ensinar e errar? Cadê?
Ficou será trancafiado entre caixas e malas em algum lugar quente e distante? Foi roubado por anões e duendes?
Há 10 meses eu dizia para quem quisesse ouvir “esse é o meu ano!”. Hoje, há dois meses do final do ano, eu digo “e daí?” Me mandei, na teimosia, pra longe. Bati o pé, disse que era capaz. E daí? Só o que fiz foi ver que não era e não sou capaz de fazer tudo sozinha. Fui para provar para mim mesma que eu me bastava, e descobri que eu sozinha não sou ninguém. Não existo e não tenho utilidade, nem para mim mesma.

Sinto falta da emoção. Do frio da barriga, do medo do novo, de aprender, de não ser tão pressionada por todos os lados. Sinto falta de poder ser eu mesma, sem ficar pensando “que será que vão imaginar de mim se eu disser isso?”. A saudade de uma coisa q eu acho que, na verdade, nunca nem foi. E nem vai ser. Acho que, no final das contas, eu vivo mesmo é numa utopia. Num mundo de cartas de baralho dizendo coisas sem sentido. Já não sei se sou um Curinga ou um Ás de Copas. Devo ser dessas cartas bem ordinárias que todos descartam na primeira rodada do jogo. Pelo menos, é assim que eu me sinto.

Quem ler isso, possivelmente vai pensar “a lá, se fazendo de vitima! Acorda pra vida, aceita seu destino” Não. Não sou vitima. Se hoje eu estou onde estou, é por mérito meu. E isso não significa que seja bom. É por não ter ouvido, é por não ter pensado, por não ter pago as contas do cartão de credito e por tomar café demais no Starbucks Coffee. São muito caros, embora tão deliciosos. Têm o sabor do paraíso com uma dose extra de expresso e avelã. É por fumar demais. Eu sei exatamente onde eu erro e errei. Não preciso de dedos alheios na minha cara apontando cada um dos meus erros e defeitos. Prefiro que me apontem a saída, por favor. Qual é a porta que dá na minha vida de volta, gente? Alguém me põe de volta de onde eu vim, e me deixa lá, quietinha, por favor. Preciso cicatrizar tudo isso aqui. Dá licença?

É uma apatia sem fim. Uma falta de reação que vem de dentro que nunca foi de mim.

Será que um dia essa felicidade que eu penso pra mim vai ser real? Quando eu vou conseguir reunir forças pra levantar a bunda da cadeira e reagir? Me ajudaê, gentes... Sozinha ta difícil...

É falta de não precisar pedir por um abraço, por um beijo. É falta de ganhar um “bom dia” ao invés de “levanta que já é tal hora”. É falta de um colo espontâneo. Eu sei que eu sou um tanto arisca, e que a vida cotidiana acaba tirando a sensibilidade.
Falta de poder deitar no sofá e assistir a qualquer coisa, ou assistir a nada e cair no sono, assim, jogada no sofá. Tem coisa melhor do que soneca no sofá?

Tudo o que eu queria era uma soneca... assim... longa... que me levasse pra bem longe... e me trouxesse de volta pra minha vida... aquela que eu tanto amava...

12 comentários:

Mirra disse...

No momento concordo empaticamente com cada palavra sua! Talvez não agimos da mesma forma, mas acredito que hojes estamos nas mesmas decepções... Olhar pra trás não é a solução, ainda não encontrei, mas o dia que eu souber o botãozinho de parar o mundo ou a saída de emergência, eu puxo sua mão tá?!
De qualquer forma, estarei aqui pra um café barato ou uma simples água na sua cozinha, pra rirmos e conversarmos..

Te amo

Anônimo disse...

É complicado a posição que tomamos ou aceitamos. Acredito que por mais complicado que tenha sido para você ir enfrentar o desconhecido e o incerto, trouxeram mais valias e muitas forças e garras criaram-se disso!
Os laços que foram criados ou amadurecidos, provaram que nem todos são legais e que nem tudo é o céu, mas que podemos concentrar o carinho e atenção em algumas pessoas e coisas!
Por mais difícil que possa parecer estar, sempre há uma força interior que nos guia a conseguir mais e mais.

Você é capaz, da forma que está não significa que tudo encontra-se de ponta cabeça que está errado, pode ser que seja apenas um novo começo?

Não aceite, apenas reflita!
Amo vc!

Seu maior adimirador

Anônimo disse...

Não existe felicidade, só momentos felizes, o resto é uma repetição sem fim dos dias. Infelizmente meus momentos felizes se foram a algum tempo, e olha que já procurei bastante e conquistei algumas coisas que eu achava que iam me fazer feliz, inocência minha, foi só um suspiro de alegria.
Agora em meio a essa repetição dos dias, vou pensando em como eu posso mudar isso, se descobrir eu te falo!

Layana Lossë disse...

pssst!
vai ficar tudo bem, viu?
o primeiro passo em direção à saída é descobrir que não quer mais ficar, isso vc já fez ;)

Bárbara disse...

Ah... Não é se fazer de vítima. É perceber que você merece muito mais do que tem hoje.

O foda disso é que a gente vê como tá a situação e desanima. Aí a situação piora e desanimamos ainda mais, num ciclo looooongo, às vezes sem volta...

É nessa hora que, ou a gente acorda, ou alguém tem que sacolejar a gente.

Não sei o que você precisa pra ser feliz. Se é de mais café do Starbucks, se é ficar descalça vendo televisão, se é uma declaração de amor, se é ver o pôr-do-sol. Mas é só me dar uma dica e te ajudo, nem que seja somente te ouvindo pra você poder organizar a cachola!

Bjos

Xulie disse...

Leléca Repeléca da minha vida!

Em primeiro lugar: Amo vc!

A tal 'saída' q vc está buscando aqui fora, não está por aqui, não. Pegue o próximo retorno e entre dentro de vc. VOCÊ, meu amor, VOCÊ é a solução, o porto seguro, o remédio, a cura. Quanto mais procurar aqui fora a saída pra todas estas 'crises', mais longe vc vai estar de encontrar um caminho de desenvolvimento.

Pegue um espelho, olhe bem no fundo dos seus olhos (os mais lindos q eu conheço) e diga pra si mesma: Letícia, você é maravilhosa! O que vc sente? Trabalhe suas emoções em relação a vc, ame-se, aprove-se.

Eu poderia ficar aqui horas dizendo todas as suas mais preciosas riquezas, milhares,...mas não adiantaria, pois VOCÊ tem que percebê-las e canalizar a energia nesses tesouros e toda essa energia vai mudando pra melhor, vc vai se fortalecendo...

Pegue o espelho novamente e diga: Eu me amo e me aprovo exatamente como eu sou. O que vc sente? Reflita.

Esse é o primeiro passo! Confia na Xuli =]

O segundo passo é vir aqui em casa tomar um café expresso italiano da JuliesBucks, fumar vários cigarros, dar um abraço beeeem gostoso e conversar como nos velhos tempos, que tal?

Peixo ta Xuli no seu coração!

fabio disse...

lêlê,

te convido a fazer um exercicio.
Começe a se despir de tudo que não é voce. Coisas, outras pessoas, passado, presente, futuro, enfim tudo.
Agora olhe e veja que a unica coisa que voce tem é um corpo, dotado de cerebro, coração, etc, etc.
Voce vai perceber que o que voce tem é um corpo, uma vida . E vieram de presente, voce não comprou. Seus pais foram apenas os veiculos, na verdade eles tambem vieram do mesmo lugar.
Ai então pense o que eu vou fazer comigo.? Posso realmente dispor deste corpo, desta vida? ou eles pertencem a alguem?
Então eu te digo duas coisas:
1) voce e seu corpo são eternos, não acabarão nunca., apenas num primeiro momento se dissolve para depois se reintegrar, perfeito , lindo e incorruptivel.
2) Todas as outras coisas em volta, objetos, dinheiro, mundo, etc. etc, desaparecerão para sempre.

Cuide pois somente daquilo que acrescentar algo ao seu SER eterno. o resto ignore, tire de letra.

um abraço
fábio

Rê! disse...

Cara, é foda!

Eu estava me sentindo assim uns tempos atrás, percebi que alguma coisa em minha vida não estava legal, e penerei!

Eliminei algo que não me dava mais o frio na barriga, o medo do novo e sim o medo do velho. Do antigo e medo de um futuro antigo, chato! Claro que não resolveu tudo, mas uns 40% ajudou, hein!?

É trabalho, é relacionamento, é vida em casa, é atitude?? Elimine algo daí, e se sentirá melhor (pelo menos um pouco), garanto!

Rondelli, N. disse...

Não duvide da sua capacidade de sustentar a si mesma e de fazer tudo o que deseja.
E digo isto como diria para qualquer outro ser humano em plenas condições físicas e mentais, e não naquele sentido hipócrita da seção de auto-ajuda que te diz: "você é especial, e existe uma luz em vc, blablabla..."

É exatamente o contrário. Você é tão "especial" quanto o próximo, e considerando dessa maneira, fica fácil descobrir o motivo de algumas pessoas se darem melhor do que as outras: esforço, determinação, e todos os sinônimos que você conseguir encontrar para essas palavras.

É claro que o mundo é um tanto menos exato do que gostaríamos - do que eu gostaria, pelo menos - e não são tão raros os casos de pessoas dedicadas que não conseguem nada, e também o contrário, pessoas que conseguem tudo que desejam sem tanto esforço assim.

Mas não deixe, nunca, se iludir por esses casos: são exceções à regra.
Abandone qualquer espécie de determinismo e lembre-se que você é, sem tirar nem pôr, a soma das suas decisões e atos.

A soneca mágica, infelizmente para os sentidos, felizmente para a racionalidade do mundo, não chegará.
Procurar a saída da sua própria vida é uma idéia contraditória em si mesma, pois em momento algum é impossível "sair" dela. O que você é hoje é a sua realidade, e dizer "hoje não sou como realmente deveria ser" é o primeiro passo para não fazer nada e se deixar tomar pela apatia, afinal, a partir do momento em que você diz que "essa não sou eu de verdade", você reduz o compromisso consigo mesma, sob o pretexto de que "o verdadeiro eu" faria tudo diferente.

Então, se quer ser/fazer algo de outra maneira que não a atual: mude.

Quase desnecessário dizer, mas sembre bom lembrar: estou aqui para tudo o que precisar. Mas se a mudança não vier de você mesma, não virá de mais ninguém.

gipicles disse...

Olha, cada um foge de um jeito, você foi pra JP, eu saía toda noite pra beber e andar de salto. Essa utopia de liberdade dá uma sensação de poder, só que uma hora a gente cai. Você caiu, eu também. E cá estamos, pessoas novas. Revigoradas ou nem tanto pela experiência. Mas todo mundo precisa do seu momento de ressaca, que é deixar como está antes de tomar iniciativa de mudar de novo. Estagnar-se nem sempre é ruim, é como esperar a areia e o pó assentarem, pra conseguir ver melhor o que vem em seguida.
Quem sabe a gente não tem uma ideia de louco de abrir uma livraria com a nossa cara um dia, que tenha um café melhor que o starbucks...

Celso disse...

Vixi! Que complexo isso. E, bom... só digo que a contradição-Mor do ser humano é que a gente precisa de pessoas, mas somos sozinhos. A única constante da nossa vida somos nós mesmos e aprender a se virar sozinho precisa acontecer. E, detalhe, mais cedo ou mais tarde, todo mundo é capaz disso sim. Mas temos de ser corajosos e aceitar que ninguém, por mais que nos ame, vai saber apontar nossa saída para qualquer coisa. A saída é sempre individual e só nós temos a capacidade de encontrá-la. ;)

Amapola disse...

Boa noite.

Eu também pensei que eu me bastava, e com isso, tudo foi mais pesado.

Um grande abraço.
Maria Auxiliadora (Amapola)