E a culpa é sua!



É engraçada a maneira como as coisas acontecem.
A imprevisibilidade da vida é uma coisa que me assusta. E a que ela pode ser atribuída? Destino? Acaso? Alinhamento dos astros? Não!

Começo a crer que tudo o que acontece nas nossas vidas é culpa nossa. Única e exclusivamente nossa. É aquela tal história de ação x reação. Finalmente entendo as minhas aulas sobre o Realismo, e a teoria de que toda causa precede um efeito. Mas esse efeito está totalmente sob o nosso controle e, muitas vezes, não nos damos conta disso. Não percebemos que a qualquer lugar que cheguemos, foi porque fizemos por onde chegar. Trilhamos um caminho que, consciente ou inconscientemente, escolhemos por trilhar. É nossa a opção se guardamos um sentimento ou se deixamos que ele saia, bem como os rancores e as palavras engasgadas. É uma opção nossa guardar ou deixar fluir. E, consequentemente, a sensação que essa escolha traz, é culpa nossa também. Não existe aquela coisa de "Eu não tenho escolha." Tem sim. E, às vezes o seu bem estar e o bem estar de quem está próximo a você, depende diretamente da sua escolha.

Reagimos de maneira emotiva e não-racional, e isso pode acabar destruindo todos os planos. Porém, com decisões apenas racionais não se chega a lugar algum. Todos os caminhos tem um contra, que, muitas vezes, parece ser maior que os tantos prós. E por causa disso, quando acabamos analisando as situações apenas com o raciocínio, acabamos por cometer um erro que beira o esdrúxulo, pois tendemos sempre a enaltecer os contras, é a razão em detrimento da emoção.
O certo, o recomendável, é que se alcance um equilíbrio entre o racional e o emocional. Mas como fazer isso? É tão difícil quando quebramos a cara por conta de uma decisão emocional, que quando temos que decidir outra coisa, o emocional fica lá, escondidinho, e o racional parece que fala "lembra daquela vez? Pois é... você foi emocional! Seja apenas racional e você não se machucará novamente!" Ledo engano.

Outro fato que me assusta é a paz. Por que eu preciso tirar a paz de alguém para ter a minha? Isso é egoísmo demais! Eu devo ter alguma esperança em relação à pessoa com quem eu estou? Por que me colocam na condição de que eu nasci para completar alguém? Ora, eu quero me completar e ninguém me deixa. Quando eu me decido "vou ficar só comigo" as coisas acontecem e eu trilho caminhos que me levam sempre a alguma pessoa em especial, que vai me roubar essa solidão que eu tanto procuro. Às vezes, desejo ficar numa cama, assistindo a filmes, tomando sorvete ou, para ser exagerada, fazendo palavras-cruzadas. Alguém pode me passar uma gripe, por favor?

Tudo isso vai ao encontro de uma frase do Nietzsche "Odeio quem me rouba a solidão sem em troca me oferecer verdadeira companhia." E que não deixa de ser verdade.

Fica aí a dica... Se você decidir roubar a solidão de alguém, ofereça a verdadeira companhia, aquela uma que vai fazer que a pessoa não se lembre de que um dia quis ser só. Mas certifique-se de que é exatamente isso que você quer, e que você, acima de tudo, sabe como ser companheiro (a). Caso contrário, o racional fica mais forte, e as dores também.






Gostaria de agradecer ao Rafa e ao Marcelo pela longa conversa no msn, que resultou nesse texto. É bom saber que posso contar com vocês!

11 comentários:

Julie disse...

Leléca, xôôô culpaaaa!!!

Segundo o Michaellis culpa é: 1. Ato repreensível praticado contra a Lei ou a moral. 2. Falta, crime, delito, pecado.

Deleta esse sentimento da sua vida, se puder, pra seeeempre. É uma herança cristã q ninguém merece.

A complexidade reinou nesse texto: ação x reação; emoçãx razão; paz; solidão; plenitude...

Minha dica pra vc: Cuide mais de VC, observe tudo e todos mto mais e faça aquilo q é bom pra VC, aquilo q te faz feliz...Só q pra isso vc tem se conhecer melhor e olhar pra dentro...tarefa não muito fácil mas que vale a pena. Se conhecendo melhor, tendo os seus objetivos de vida claros VC será mais feliz e equilibrada e as pessoas ao seu redor também. Tire o foco do outro e volte-o pra VC e tudo vai fluir. Ah, enquanto se conhece melhor, leve a vida com mais leveza e equilíbrio (mente, corpo e alma). Quando tudo parecer dar errado, respire fuuuundo e pense nos seus planos e sonhos e siga em frente...Confie!

Marcelo Mayer disse...

eu que agradeço a oportunidade!!!
ficou ótimo!

Pati disse...

Adorei...mas é isso mesmo...busque primeiro se conhecer....com toda certeza vc terá melhores resultados

Pati

Celso disse...

Sábias palavras. Eu não usaria a palavra culpa, que é meio negativa, mas a palavra responsabilidade. Somos sim responsáveis por ABSOLUTAMENTE TUDO o que acontece na vida da gente, com a gente.

É sim... física quântica explica... magia (que é tão somente física quântica) explica. Seus pensamentos hoje produzem seu EU de amanhã. Somos deuses, afinal. A realidade curva-se à nossa vontade. Somos pedacinhos de Deus. A pegadinha é... "somos". Você é, eu sou, todo mundo é.

O segredinho é a gente se conhecer. E descobrir que alguns desejos que temos não são nossos e não nos trazem nada de felicidade.
Como dizia Sócrates: "Conheça-te a ti mesmo" (na vdd, inscrito no templo de Apolo em Delfos).

E como diria Jesus: Com efeito, de que adianta a um homem ganhar o mundo inteiro, se se perde e se destrói a si mesmo?

Vitor Blessa Anselmo. disse...

solidão é privilégio, boa companhia é raridade..

Picles disse...

Nem sempre as pessoas entendem que solidão às vezes é essencial pra por as coisas em ordem, né, cara.

Rê! disse...

Ai Lê, mesmo quando encontramos essa tal pessoa que nos ofereça a companhia desejada, sempre tem um dia em que as coisas não dão certo. Sempre tem aquela tpm, sabe? Ao meu ver relacionamentos são assim, ninguém completa o outro 100%, ainda bem! Se for assim, nós somos apenas 50% durante anos e anos, isso é muito chato! O certo é encontrar alguém que seja o complemento do todo que você já é... mas até encontrar o certo, divirta-se com os errados e cuide de você. Nada nessa vida é por acaso, e como dizem meu pai e minha mãe, há males na vida que vem para o bem!

Beijos
Renata.

Diego Fávero disse...

Paz, eu quero paz
Já me cansei de ser a última a saber de ti
Se todo mundo sabe quem te faz
chegar mais tarde
Eu já cansei de imaginar você com ela
Diz pra mim
se vale a pena, amor
A gente ria tanto desses nossos desencontros
Mas você passou do ponto
e agora eu já não sei mais...

Eu quero paz
Quero dançar com outro par
pra variar, amor
Não dá mais pra fingir que ainda não vi
As cicatrizes que ela fez
Se desta vez
ela é senhora deste amor
Pois vá embora, por favor
Que não demora pra essa dor
sangrar.

Anônimo disse...

Ótimo texto. Sábias palavras. Foi muito feliz na colocação e no emprego de cada uma. Conseguiu fazer com que o leitor refletisse. Sinceramente me surpreendeu. Parabéns!! ESCREVER é uma dádiva de Deus, cultíve-a sempre!! Bjs, Yuri Nicolai.

Dio disse...

Muito bom esse texto!!!

É a pura verdade, somos quebra-cabeças de um peça só, sempre em busca de se encaixar em algo maior, se abrirmos um buraco em nós para encaixar a peça de alguém, esse alguém tem que estar ciente do buraco que vai deixar se resolver não se encaixar mais...

Parabéns pelo texto!!! Ficou ótimo!!!

Leonardo Xavier disse...

Eu diria que a nossa vida não é governada somento pelas nossas decisões, mas por uma certa dose de acaso e aleatoriedade. Por mais que eu possa tentar escolher os meus caminhos eu acho que meu próprio ser já é de certa forma uma vítima da aletorieade, eu não escolhi o ambiente em que surgi, nem como eu seria, nem tampouco o modo como eu interpreto as informações que estão disponíveis para mim.

No entanto eu não posso culpar essa aleatoridade presente na vida, como causa de todos as minhas venturas e desventuras, em alguns aspectos da vida eu posso ter um controle razoável e nesses aspectos cabe a minha pessoa saber escolher.