E o que sobrou?



E de nós? O que sobrou?

Sobraram listas, promessas, palavras, livros, poemas...
Sobrou um cigarro, uma música, um caderninho e canetinhas coloridas.

De nós, de nós dois sobrou o cheiro no quarto, teu corpo no meu, cafés, saudades, carinhos e cafunés, metrôs, trens e ônibus.

Sobraram siglas, mãos, confidências, conversas, meias jogadas pelo quarto, fumaças. Sobrou um pra sempre, um jamais. Risos, choros, ligações.

Sobraram coisas boas, tantas que eu já nem me lembro de todas.

Sobrou-me raiva. Raiva de pensar que eu não consigo lembrar da sobra de coisas ruins. Talvez, se eu me lembrasse das coisas ruins que excederam tudo seria muito mais fácil, e apenas ter lembranças não seria tão dolorido aos meus sentidos. Raiva por não ter raiva, por não ter mágoa, não ter ressentimentos.

Mas o pior que sobrou de nós foi a falta.

4 comentários:

Dio disse...

Esqueceu de uma coisa, sobrou vc, firme e forte e pronta pra outra =)

Maria Rita disse...

Que linda! Adorei, vou ficar por aqui pra ler um pouco mais dos teus escritos.

Beijos pra Ti

Renan.Pires disse...

E um nó da amizade...

Júnior Morais disse...

Tem um selo pra tu no meu blog, espero que goste.