Bom-Pai

Vincent Van Gogh

É... o ano na faculdade começou, agora, alguns textos são escritos sob pressão...

Ruben é um homem por volta de seus 45 anos. Vive com uma filha, Diana, de 20 anos de idade. Sua esposa, morrera quando Diana era pequenina.
O Bom-Pai nunca segurou a filha pelas pernas, sempre a deixou livre para que ela pudesse alçar seus voos, porém, sempre com algumas determinações; uma delas: ''Minha filha, nunca chegue após às 22h00. A vila é escura, não se sabe que tipos encontramos por aí, noite adentro.''
Pois bem, Diana sempre obediente aos pedidos do Pai, preocupava-se em chegar até um pouco adiantada, para não dar margens à indisposições. Desde sempre é uma filha muito querida.

Já batera 22h00 no cuco da sala. Ruben está sentado na cadeira, preocupado. ''Por onde andará a minha pequena Diana?''

Pensamentos em turbilhões passam em sua cabeça. ''Assalto? Atraso? Cadê? Por que não liga? Por que não chega?''
Depois de tanta resistência, busca na agenda o nome da melhor amiga da filha. Renata.
- Alô, Renata? Aqui é o Ruben, pai da Diana. Por acaso vocês saíram juntas hoje? Ela está ai com você? Ah, não? ... Está certo, então. Mas por favor, me avise se você souber de alguma novidade!

23h00... Nenhuma notícia de Diana ainda. Cada minuto verte-se em horas para o pai, que está à beira de um ataque.

Levanta, vai à cozinha, um café morno, abre a geladeira. Acende um cigarro. E a cadeira ali, na sala, é ela quem guarda todo aquele sentimento, toda aquela agonia. É uma cadeira velha, tosca de pintura rude. Mas firme a ponto de suportar o peso físico e mental do Bom-Pai.

23h15

O telefone toca...

Sim, o desfecho fica por sua conta!



9 comentários:

Camila M. disse...

Eu ainda não fiz o meu..ai Jô!

Gi disse...

por que sempre a escolha fica entre o final feliz e o trágico?

Dio disse...

O destino de um jovem mulher em nossas mãos! É muita responsabilidade hein, e o pai dela então, o término ou o prolongamento de sua agonia dependem de nossa imaginação, que crueldade com o pobre homem... rsrsrs

ow, com relação ao template, quando você entrar no msn me dá um toque que eu te ajudo =)

Ludo Miranda disse...

Falta bebida...
as mãos...isso, elas tremem.
Cadê...
Mas, por onde andou?
É....eu posso....
Cale-se diabos....

Mas...

Esse é o preço que vai ...

Nãaaaaaaaaaaaaao!!

Layana Lossë disse...

essa pode entrar pro livro Contos Inacabados de Lelê :)

tenho uma porção de contos inacabados, mas por pura preguiça... :P

Elton Dias disse...

Paçoquinha Rolha?
Ok... Década de 1920, feudalismo!
huaahuahuhauhauha

Dio disse...

hahá!!!! agora vou te seguir! rs

tem mais histórias ai?!

beijos!

Elton Dias disse...

Puuutz!
Chocolate do Padre... Inquisição!
Huauhauhuahuauha. Essa foi ótima!

Mirra disse...

só pq to com tédio, vou dizer que eu li, mas não vou comentar sobre o que li ^^

Ha... fiz um tbm.